Uncategorized

Enfermeira sofre queimadura ao reutilizar máscara desinfetada com alvejante- Blog Giga Medical

Giga Medical – Trazendo o melhor em equipamentos de proteção e hospitalares

A escassez de máscaras na Rússia levou a enfermeira Olga Ovinnikova a reutilizar uma que acabou deixando-a impossibilitada de trabalhar, por ter causado queimaduras de segundo grau em seu rosto.

Ela relatou à imprensa local ter recebido uma máscara de tecido no dia 24 de abril, sem saber que aquele item já havia sido usado. Após a profissional começar a sentir que sua face estava queimando, descobriu que a máscara tinha sido desinfetada com uma solução química, possivelmente alvejante.

No dia seguinte, Olga voltou à unidade de saúde, na cidade de Karabanovo, onde são tratados pacientes com coronavírus, mas dessa vez ela foi na condição de paciente. A jovem foi diagnosticada com uma “queimadura química de segundo grau na face”, necessitando ser levada ao centro de queimaduras.

A enfermeira russa Olga Ovinnikova sofreu queimaduras no rosto
A enfermeira russa Olga Ovinnikova sofreu queimaduras no rosto Foto: Instagram / Reprodução

No início deste mês, a enfermeira apresentou formalmente uma queixa às autoridades, contando com o trabalho de Anastasia Burakova, que é advogada de Direitos Humanos. De acordo com Olga, o hospital não tratou o caso como algo danoso à saúde. Por isso, ela pede que seja feita uma auditoria e que medidas de emergência sejam tomadas para investigar o que lhe aconteceu.

“Obrigada a todos que me apoiaram e me apoiam no momento. Me sinto melhor, meu rosto está gradualmente voltando ao normal. Graças aos médicos, eles estão fazendo um ótimo trabalho”, disse Olga em uma publicação no Instagram na última quinta-feira. “Eu realmente espero que as agências policiais entendam e que os autores sejam punidos. Infelizmente, tenho que ficar em casa, no momento em que todos os funcionários são importantes e necessários“.

A enfermeira russa Olga Ovinnikova sofreu queimaduras no rosto
A enfermeira russa Olga Ovinnikova sofreu queimaduras no rosto Foto: Instagram / Reprodução

Na primeira postagem sobre o caso, Olga já havia criticado a atitude do hospital, dizendo que as roupas descartáveis de proteção estavam sendo lavadas em água sanitária e usadas várias vezes. Ela relatou que o local sofre com escassez de EPIs para os profissionais de saúde. Segundo Olga, sua pele foi danificada por produtos químicos venenosos que permaneceram em sua máscara após a desinfecção.

Emmanuil Zdanovsky, que administra o hospital, negou o uso de água sanitária para higienizar máscaras.

Falando à mídia local, ele disse: “Não usamos alvejante para esterilizar máscaras e roupas de proteção”.

A enfermeira russa Olga Ovinnikova
A enfermeira russa Olga Ovinnikova Foto: Instagram / Reprodução

No entanto, a polícia confirmou o oposto e encontrou inúmeras violações após verificar as instalações médicas. Além disso, outros dois médicos foram infectados pelo coronavírus devido à falta de EPIs. Uma investigação está em andamento.

A Rússia confirmou 221.344 casos de Covid-19, com 2.009 pessoas mortas pela doença.



Giga Medical – Trazendo o melhor em equipamentos de proteção e hospitalares

Fonte extra.globo.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *