Mesmo com recomendação e obrigatório, alguns campo-grandenses acham uso de máscara ‘desncessário’ Leave a comment

 

Mesmo com o uso de máscara recomendado por profissionais e obrigatório em algumas cidades de Mato Grosso do Sul e em alguns ambientes de Campo Grande, ainda é comum ver pessoas sem a proteção andando pelas ruas ignorando a nova ‘etiqueta respiratória’ da pandemia do coronavírus (covid-19).  As justificativas vão de achar incomodo a acreditar que a proteção facial seja desnecessária.

Para o vendedor Jhony Humberto, 18 anos, a máscara não protege tanto já que existem outras formas de contágio. “Não tem necessidade de usar máscara. Incomoda para malhar, conversar. Eu já não respiro bem e de máscara é pior”, disso.

“As pessoas só usam mesmo nos ônibus, nas lojas ninguém usa. Não acho que proteja alguém. Tem várias formas de pegar a doença. Se alguém encosta no balcão, por exemplo, e eu encosto em seguida eu vou pegar o vírus”, completou.

“Não tenho medo. Sei lá”, começa a vendedora Ana Carla, quando questionada sobre não estar usando a proteção facial. “Não estou bem perto das pessoas, sempre procuro manter a distância”, continua.

“Sei do risco, mas não acho que vai acontecer a transmissão. Eu uso óculos e com máscara embaça a visão, a além de dar falta de ar”, comenta.

No ‘bonde’ dos que ignoram a recomendação também encontramos Ednei Goes. Apesar do medo, o atualmente desempregado, diz não gostar de usar. “Eu sei que estou errado. Devemos usar, mas só coloco em lugares obrigatórios. A máscara está aqui no meu bolso”, afirma.

“Irresponsáveis”

Para a auxiliar de limpeza Eliane Arce, 32 anos, não usar máscaras é irresponsabilidade. Ela que trabalha em um hospital de Campo Grande, sabe que não usar a proteção é pôr em risco a vida.

“Eu trabalho em hospital. Não quero pegar a doença. Uso máscara o tempo todo. Chego em casa já lavo e tomo banho. As pessoas que não usam são irresponsáveis porque além de pôr a vida deles em risco, colocam a dos outros. É falta de consciência. Eu ouço no hospital os comentários. O estágio final da doença é muito feio”, destaca.

“Já vi gente tentando entrar no ônibus sem máscara, o motorista não deixou. A mulher fez um barraco. A pessoa não desconfia que está errada”, completa.

Opinião compartilhada também pelo funcionário público Magner Magalhães, 40 anos. “Eu uso máscara por questão de saúde e cuidado. A gente recebe as informações sobre o vírus não pode brincar”, diz.

“As pessoas que não estão usando é porque não deram importância. Não sei se é falta de informação ou zelo. Mas tem que tomar cuidado é um risco geral”, relata.

Obrigatoriedade

Em Campo Grande o uso de máscaras é obrigatório no transporte coletivo urbano desde o dia 4 de maio. Além disso, nos planos de biossegurança de retomada das atividades, a recomendação da proteção facial está presente para profissionais de todas as atividades.

Também na Capital, o acessório é obrigatório em órgãos públicos municipais desde o dia 11 de maio com base no Decreto n. 14.293.

No interior de Mato Grosso do Sul algumas cidades adotaram a obrigatoriedade da máscara. São elas: Ponta Porã, Corumbá, Guia Lopes da Laguna, Juti, Miranda, Coxim, Dourados, Batayporã, Caracol, São Gabriel do Oeste e Nova Andradina.

Mesmo com recomendação e obrigatório, alguns campo-grandenses acham uso de máscara 'desncessário'



Giga Medical – Trazendo o melhor em equipamentos de proteção e hospitalares

Fonte www.midiamax.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SHOPPING CART

close