Uncategorized

A segurana da sua sade vai alm do que voc conseguiu comprar nas lojas online

Blog Giga Medical

Pixabay
(foto: Pixabay)

Os pacientes e seus familiares podem acreditar que os valores de referncia dos exames ou os dados observados em seus aparelhos domsticos so protagonistas das decises de sade. Preciso compartilhar com vocs que muitas vezes esses nmeros, se analisados de forma isolada, no so suficientes para um bom cuidado.

“Mas doutor, esse resultado est completamente fora da faixa de referncia!”, “Agora estou tranquilo, o aparelho est marcando saturao de 95%, isto bom, no mesmo?”  O raciocnio clnico vai alm dos nmeros e pode no ser to exato quanto parece. No contexto da sade, h inmeras variveis capazes de transformar a avaliao  de um valor de referncia. 

Se voc estivesse dentro de um hospital e pudesse escutar a seguinte conversa dos mdicos: “Paciente estvel, presso arterial 120×80 mmHg, frequncia respiratria de 18 respiraes por minuto, temperatura de 36,9 graus celsius, saturao de oxignio de 98%, sem dor, sem esforo respiratrio, no apresentou febre nas ltimas 48 horas”, o que voc imaginaria?

Estes so os meus dados vitais, no momento em que escrevia este texto, mas so tambm os dados de um paciente meu que est internado no CTI do hospital que trabalho. Os dados devem sempre ser interpretados e relacionados. Assim como diz o professor Edgar Nunes de Moraes, um dos meus mestres da Geriatria, os nmeros podem no explicar nada sobre o nosso paciente, assim como a idade isolada, resultados isolados e medidas isoladas muitas vezes podem nos trair e descrever um paciente totalmente diferente, ” preciso olhar e entender o paciente”, somos ensinados a enxergar primeiro o paciente e depois os exames e os nmeros que eles trazem. Neste momento, o conhecimento dos mdicos e demais profissionais da sade so extremamente necessrios e importantes, se no fossem certamente j teriam sido substitudos por computadores, tabelas e inteligncia artificial.

Algumas pesquisas recentes mostraram que os itens mais desejados e adquiridos durante a pandemia so as luvas, mscaras, protetores de rosto, botas e macaces de proteo. J falamos aqui sobre o uso inadequado dos equipamentos individuais de proteo, o impacto do consumo inadequado e a escassez em locais de necessidade extrema, como os hospitais. Outra onda de consumo que estamos observando so dos termmetros com e sem contato e dos oxmetros. 

O bom e velho termmetro sim um item essencial em cada casa, porque ele permite a aferio da temperatura e a identificao da febre – um dos sintomas da Covid-19  e de diversas outras doenas. A situao um pouco diferente no caso do oxmetro. Ele um aparelho que mede indiretamente a quantidade de oxignio no sangue de um paciente e deve ser interpretado com grande cautela, pois muitas vezes pode nos passar uma falsa segurana. Nesta semana, o jornal Estado de Minas trouxe uma matria importante “Coronavrus: uso do oxmetro em casa merece ateno”, e achei oportuno dar continuidade ao tema.

Os oxmetros devem ser utilizados de maneira adequada e inseridos em um contexto de cuidados, orientado por um profissional. No atendimento hospitalar no raro iniciar aes imediatas para atender um paciente com baixa saturao de oxignio e abort-las aps um reposicionamento do aparelho ou at  mesmo aps constatar que aquele paciente especfico possui um quadro de saturao abaixo da esperado na populao em geral. O aparelho deve estar calibrado, com baterias suficientes e em bom estado. A pele fria, esmalte nas unhas e outras diversas situaes do paciente devem ser avaliadas para que a aferio no seja equivocada. Os profissionais treinados j realizam essa conferncia de maneira automtica, porm no podemos esperar isso de pessoas em isolamento, angustiadas e sem treinamento.

Os dados que nos norteiam so definidos aps estudos que analisam um grupo de pessoas especfico e, muitas vezes, os nossos pacientes possuem caractersticas diferentes e no se enquadram na mesma anlise dos estudos. No exemplo que apresentei podemos observar um paciente intubado em um CTI e saturando 98% ou uma pessoa calma, em casa, trabalhando em seu computador.

Nos tempos de COVID-19 devemos lembrar dos sintomas da doena, tosse, cansao, febre, coriza, dor de garganta e dificuldade para respirar. Quando o assunto for saturao de oxignio, importante deixar bem claro quais so os dados e a importncia deles. O saturimetro ou oxmetro fornece os dados de saturao de oxignio e, geralmente, da frequncia cardaca. Os dados so obtidos de maneira indireta atravs de sensores de som e luz, porm no h uma verificao de batimentos cardacos e nem h contato com nenhum oxignio do seu corpo; so medidas indiretas. Nos hospitais podemos verificar esses dados de maneira mais especfica por meio de exames como eletrocardiograma e a gasometria – um exame que avalia a concentrao de gases presente no sangue, como o oxignio e o gs carbnico. 

O grande desafio mudar o curso das doenas e melhorar esses desfechos ruins, especialmente no caso de Covid-19, precisamos alertar que os dados de saturao de oxignio sero alterados somente em quadros avanados da doena, ento se a sua saturao de oxignio estiver abaixo do esperado voc j deveria ter sido avaliado em local adequado, ou seja, no espere os dados do seu oxmetro estarem ruins para procurar os  servios de sade.

Os relatos atuais descrevem que os pacientes com Covid-19 tem comprometimento grave de sade, antes mesmo de apresentarem alteraes de oximetria. O corpo est se esforando para conseguir vencer a doena, mesmo com valores de bons de oxignio. 

A interveno precoce por uma equipe de sade bem treinada o que tem demonstrado melhores resultados e essa velocidade no pode ser atrasada por valores de oxignio medidos em casa. Os dados da Alemanha e de muitos locais aqui do Brasil de bom desfecho de tratamento esto sempre associados a uma equipe bem preparada para decidir as melhores condutas. No podemos nos iludir que isto pode ser substitudo por oxmetro de dedo e outros acessrios. Aos sinais de cansao ou falta de ar deve-se buscar atendimento mdico imediatamente. 

Giga Medical – Trazendo o melhor em equipamentos de proteção e hospitalares

Fonte www.uai.com.br

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *