Quatro regiões passam para a bandeira vermelha no modelo de distanciamento controlado do RS | Rio Grande do Sul Leave a comment

Blog Giga Medical

O governo do Rio Grande do Sul atualizou neste sábado (13) o mapa do distanciamento controlado, que define as medidas e restrições para enfrentamento do coronavírus no estado. Quatro regiões do estado apresentaram piora nos indicadores e passaram para a bandeira vermelha, o que significa medidas mais restritivas. São elas: as regiões de Caxias do Sul, Santo Ângelo, Santa Maria e Uruguaiana.

As regras passam a valer a partir de segunda-feira (15) e tem vigência de, pelo menos, duas semanas. Pois para retornarem à uma bandeira mais branda, os indicadores precisam apresentar melhora por 14 dias consecutivos.

Segundo o governo, os indicadores indicam que há um aumento na disseminação do vírus e pouca capacidade de leitos hospitalares. A revisão dos modelos e regiões por parte do estado também facilitou que as áreas passassem para a bandeira mais escura.

“Os indicadores dessas regiões apontam que há aumento de contágio e menor disponibilidade hospitalar para o atendimento. Não é motivo pra pânico, mas é um alerta de que nós precisamos reduzir essa velocidade de contágio para evitar que lá na frente haja um colapso do sistema hospitalar, e consequentemente tenhamos dificuldade de atendimento a população”, afirmou o governador Eduardo Leite.

No decorrer da semana, as Regiões de Santa Maria e Uruguaiana tiveram um aumento de pacientes internados por Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag) em Unidades de Terapia Intensiva, de 14 para 25 e de quatro para oito, respectivamente.

Na área de Uruguaiana, nos últimos sete dias, as internações de pacientes confirmados com coronavírus, aumentou de seis para 14. E na de Santa Maria, no mesmo período, de nove para 18.

Além disso, os indicadores de estágio da evolução da doença e de incidência de novos casos também apresentaram piora nas duas áreas.

Na Região de Caxias do Sul, as hospitalizações de casos confirmados com a Covid-19 cresceu de 23 para 63, o que representa 173,9%. De acordo com o governo, o aumento revela a velocidade rápida do avanço da doença.

Nos leitos de UTI, entre as duas últimas sextas-feiras, houve um crescimento nas internações de 31 para 44.

Na área de Santo Ângelo houve uma piora nos indicadores que medem a propagação da doença. Além disso, o número de pacientes internados em leitos clínicos, confirmados com a doença, passou de sete para 14, ou seja, 100% em uma semana. Já nos pacientes internados por Srag em UTI, a região teve um aumento de 12 para 17.

Mapa do Distanciamento que vale de 15 a 21 de junho — Foto: Reprodução/Governo do RS

Bandeiras laranja e amarela

As regiões de Bagé e Santa Cruz do Sul também tiveram as bandeiras trocadas na nova atualização.

A área de Bagé, que estava na bandeira amarela, passou para a laranja. De acordo com o governo, houveram seis internações nos últimos 14 dias. O que representa mais restrições nas atividades.

Em Santa Cruz do Sul, segundo o estado, a região apresentou melhoras nos indicadores, e agora está com a bandeira amarela.

O que muda nas regiões com a bandeira vermelha

  • Nas regiões que migraram para a bandeira vermelha apenas serviços essenciais podem abrir, com 50% dos funcionários.
  • Restaurantes e lancherias só podem funcionar com sistema de tele-entrega, drive-thru e pegue e leve.
  • Em shoppings apenas lojas de serviços essenciais podem abrir, tais como farmácias, lavanderias e supermercados. Que só podem operar com 25% dos trabalhadores.
  • Aulas devem ser mantidas de forma remota. Os cursos livres devem permanecer fechados, assim como escola de ensino infantil, fundamental e médio e universidades.
  • Academias, missas e serviços religiosos, clubes sociais e esportivos (mesmo que com atendimento individual), e serviços de higiene pessoal, como cabeleireiro e barbeiro, são totalmente vedados.

O governo do Estado afirmou que as regiões de Porto Alegre, Canoas, Novo Hamburgo e Capão da Canoa estão em alerta. As quatro áreas permanecem na bandeira laranja, mas tiveram uma piora em números de propagação da doença na última semana.

Além disso, o governo apresentou outros dados sobre a doença no estado na última semana:

  • O número de novos registros de hospitalizações Srag de confirmados com Covid-19 aumentou 32,8% entre as duas últimas semanas (de 241 para 320);
  • O número de internados em UTI por Srag aumentou 30,4% entre as duas últimas sextas-feiras (de 280 para 365);
  • O número de internados em leitos clínicos com Covid-19 aumentou 13,8% entre as duas últimas sextas-feiras (de 224 para 255);
  • O número de internados em leitos de UTI com Covid-19 aumentou 35,7% entre as duas últimas sextas-feiras (de 171 para 232);
  • O número de leitos de UTI adulto livres para atender Covid-19 aumentou 8,3% entre as duas últimas sextas-feiras (de 542 para 587);
  • O número de óbitos por Covid-19 reduziu 10,7% entre as duas últimas semanas (de 56 para 50);
  • As regiões com maior número de novos registros de hospitalizações nos últimos sete dias, por local de residência do paciente, são Porto Alegre (89), Caxias do Sul (63), Passo Fundo (26), Novo Hamburgo (24) e Santa Maria (21).

Como ficam as regiões na próxima semana

  • Risco alto (bandeira vermelha): Santa Maria, Uruguaiana, Santo Ângelo e Caxias do Sul
  • Risco médio (bandeira laranja): Capão da Canoa, Novo Hamburgo, Canoas, Porto Alegre, Cruz Alta, Palmeira das Missões, Erechim, Passo Fundo, Pelotas, Ijuí, Santa Rosa, Lajeado e Bagé
  • Risco baixo (bandeira amarela): Taquara, Cachoeira do Sul, Pelotas, Santa Cruz do Sul

Giga Medical – Trazendo o melhor em equipamentos de proteção e hospitalares

Fonte g1.globo.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SHOPPING CART

close