Empresas são investigadas em Minas por fraudes em contratos para combate ao coronavírus | Minas Gerais Leave a comment

Blog Giga Medical

As apurações, que começaram em abril, estão sob sigilo e já há inquéritos criminais abertos para responsabilizar os sócios de empresas envolvidas. Há casos de fornecedores que venderam um tipo de produto e entregaram outros, de qualidade inferior

Além de empresas que venderam e não entregaram, o indício de fraude mais comum, segundo a força-tarefa, é o sobrepreço ou superfaturamento.

Os indícios de irregularidades são apurados por oito órgãos de controle, como a Controladoria-Geral do estado, o Tribunal de Contas e o Ministério Público. O foco foi direcionado a 366 empresas, entre quase 1.300, que fecharam contratos com prefeituras ou com o governo do estado durante a pandemia para fornecimento de produtos como aventais e máscaras de proteção.

A Controladoria-Geral do estado diz que já houve apreensão em endereços dos suspeitos e quebra de sigilo de empresários. E que os fraudadores se aproveitaram da urgência na compra de materiais, quando a lei permite dispensa de licitação.

No mês passado, o MG2 mostrou que uma das apurações envolve a prefeitura de Leopoldina, na Zona da Mata. O motivo foi a compra de máscaras N95 no valor de R$ 380 de uma empresa de estética e beleza da cidade de Varginha, no Sul do estado. A distância entre as duas cidades é de mais de 400km.

Giga Medical – Trazendo o melhor em equipamentos de proteção e hospitalares

Fonte g1.globo.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SHOPPING CART

close