Uncategorized

MInistério da Agricultura do Brasil não foi comunicado por chineses sobre…

Blog Giga Medical

LOGO estadao

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) não foi comunicado oficialmente pelas autoridades chinesas sobre a alegação de que traços de covid-19 foram encontrados em embalagens de carne de suíno exportadas pelo Brasil para a China.

De acordo com a agência Reuters, o governo da província chinesa de Shandong informou ter encontrado traços de covid-19 em uma embalagem de carne suína importada do Brasil. Não foi informado o nome da empresa brasileira responsável pelo produto.

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) afirmou que a embalagem pode ter sido contaminada durante o transporte. Em nota, a entidade informou que está em contato com as autoridades brasileiras para apoiar a apuração do caso.

“As informações divulgadas até aqui destacam que os traços de Covid-19 eventualmente encontrados estavam na embalagem do produto, o que indica que a contaminação deve ter ocorrido fora da unidade produtora – por exemplo, em uma das várias etapas de transporte até a chegada ao destino”, destaca a ABPA, em nota.

A entidade lembra ainda que não há evidências científicas de que a carne possa transmitir o vírus. Em agosto, autoridades municipais da cidade de Shenzen disseram que uma amostra de asas de frango congeladas exportada pelo Brasil testou positivo para o coronavírus. A situação fez as Filipinas barrarem as exportações de frango brasileiro para o país.

Estoque de carne suína se recupera em grande parte da China, diz ministério da Agricultura chinês

(por Xinhua, agencia estatal chiensa)

Beijing,  (Xinhua) — Na China, as populações de porcos vivos e porcas reprodutoras se recuperaram em grande parte devido aos esforços do governo para restaurar a produção de suínos, conforme mostraram os dados fornecidos pelo Ministério da Agricultura e dos Assuntos Rurais neste sábado.

Até agora, o número de porcos vivos e porcas reprodutoras em estoque se recuperou para mais de 80% do nível registrado em anos normais, de acordo com os dados da pasta.

Desde o ano passado, a China implementou uma série de políticas para estimular a produção de suínos e estabilizar os preços da carne de porco afetados pela peste suína africana e outros fatores.

Para garantir que a capacidade de produção retorne ao nível dos anos normais, o país se esforçará para manter o ritmo atual de recuperação e expandir ainda mais a produção da carne suína, disse Han Changfu, ministro da Agricultura e dos Assuntos Rurais, em uma videoconferência sobre a restauração da produção de suínos.

O ministério também solicitou medidas para aumentar o abastecimento do mercado de carne básica, incluindo o aumento da reserva de carne suína congelada e de carnes alternativas.

Parte continental da China relata um novo caso transmitido localmente

(Xinhua, agencia estatal chiensa)

Beijing, 30 out (Xinhua) — A autoridade sanitária chinesa divulgou nesta sexta-feira que recebeu relato de um novo caso de COVID-19 transmitido localmente na Província de Shandong nesta quinta-feira.

Ao todo, 53 novos casos assintomáticos, incluindo 39 vindos de fora do continente chinês, foram relatados, informou a comissão em seu relatório diário.

Vinte e quatro casos confirmados vindos de fora da parte continental da China foram reportados também na quinta-feira.

Seis novas suspeitas de COVID-19 de fora do continente foram relatadas em Shanghai. Não foram notificados novos óbitos relacionados à doença.

Dos novos casos importados, 13 foram relatados em Shanghai, quatro em Fujian, dois em Tianjin, Guangdong e Sichuan, e um em Yunnan, disse a comissão.

Na quinta-feira, 24 pacientes com COVID-19 receberam alta hospitalar após recuperação no continente chinês.

Até o final do mesmo dia, 3.332 casos importados tinham sido notificados na parte continental, dos quais 3.044 receberam alta hospitalar após a recuperação e 288 permaneciam hospitalizados. Nenhuma morte entre os casos importados foi notificada.

Até quinta-feira, o total de casos confirmados de COVID-19 no continente havia chegado a 85.940. Destes, 339 pacientes ainda estavam em tratamento, incluindo sete em estado grave.

Ao todo, 80.967 pacientes receberam alta após a recuperação e 4.634 morreram da doença no continente, segundo a entidade.

Havia seis casos suspeitos de COVID-19 no continente, enquanto 12.863 contatos próximos ainda estavam sob observação médica depois que 1.255 tiveram alta na quinta-feira, de acordo com a comissão.

139478181_16040280151721n.jpg

Equipe médica orienta residentes em um local de teste de ácido nucleico em Qingdao, Província de Shandong, no leste da China, em 14 de outubro de 2020. (Xinhua/Li Ziheng)

 



Giga Medical – Trazendo o melhor em equipamentos de proteção e hospitalares

Fonte www.noticiasagricolas.com.br

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *