Covid-19: funcionária da UPA de Valinhos é flagrada em atendimento sem uso correto da máscara | Campinas e Região

Blog Giga Medical

Uma funcionária da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Valinhos (SP) foi flagrada durante o atendimento sem usar a máscara de proteção contra o contágio da Covid-19 corretamente. O objeto estava no queixo, deixando nariz e boca à mostra, enquanto ela falava com pacientes neste domingo (1).

O flagrante em vídeo foi feito por um morador que aguardava na sala de espera da unidade, que fica no bairro Lenheiro, próximo ao Centro, e funciona 24 horas.

A atendente manipulava documentos e conversava com as pessoas sem a proteção. Chegou a sair da recepção para ir ao totem de atendimento sem usar a máscara adequadamente.

A EPTV, afiliada da TV Globo, pediu um posicionamento para a Prefeitura de Valinhos, mas não teve retorno até a publicação da reportagem.

Valinhos já constatou 2.457 casos positivos do novo coronavírus entre moradores, sendo que 103 deles morreram em decorrência de complicações da Covid-19.

Funcionária da UPA de Valinhos é flagrada sem usar máscara de proteção da Covid-19 corretamente — Foto: Reprodução/EPTV

PLAYLIST: Veja outros vídeos de destaque na região de Campinas

Formas erradas e corretas de usar máscara de proteção contra o coronavírus — Foto: Arte/G1

Giga Medical – Trazendo o melhor em equipamentos de proteção e hospitalares

Fonte g1.globo.com

Deputado Jessé Lopes será investigado por incentivar o não uso da máscara

Blog Giga Medical

Ministério Público quer saber se houve crime por parte do parlamentar por incentivar a população a desrespeitar as medidas de combate à pandemia de covid-19

O Ministério Público Estadual decidiu instaurar procedimento investigatório para apurar a conduta do deputado estadual Jessé Lopes, do PSL, por incitação ao crime, ao incentivar seus seguidores nas redes sociais a saírem de casa sem máscaras durante o feriado.

Jessé Lopes, deputado estadual pelo PSL – Foto: Divulgação/ND

Nota divulgada na tarde deste domingo pela Assessoria de Imprensa da Procuradoria Geral de Justiça dá mais informações: “Incentivar a população a desrespeitar as medidas de combate à pandemia de covid-19 previstas em decretos estaduais e municipais é um crime previsto no artigo 286 do código penal – no caso, incitação ao crime de “infringir medida sanitária que tenha como objetivo evitar a propagação de doença contagiosa” (art. 268 C.P.).

Jessé Lopes (PSL) usou as suas redes sociais para estimular seus seguidores a saírem de casa sem máscaras neste feriado. O procedimento investigatório criminal será instaurado pela Subprocuradoria-Geral de Justiça para Assuntos Jurídicos do MPSC nesta terça-feira (3-11).

A investigação vai analisar as publicações do Deputado Jessé em sua conta no Twitter feitas no sábado (31/10). Na primeira publicação, por volta das 22h de sábado, o parlamentar publicou o seguinte texto: “Neste feriado SAIA de CASA!! Vá viajar, vá no parque ou na praia!! E se puder NÃO USE MÁSCARA!”.

Decretos estaduais que definem as medidas sanitárias contra a covid-19 proíbem frequentar as praias para tomar banho de sol ou para o lazer, sendo permitida apenas a prática esportiva individual, na orla marítima. Os decretos também tornam obrigatório o uso de máscaras na rua, em parques e em qualquer atividade ao ar livre.

As declarações do Deputado Estadual ocorrem justamente no momento em que Santa Catarina registra uma nova onda de aumento de casos de covid-19 e as redes hospitalares pública e privada voltam a apresentar a lotação dos leitos de enfermagem e de UTI em níveis superiores a 84%, em algumas regiões, sendo que muitas unidades já estão com a lotação esgotada.

Nas regiões litorâneas com maior incidência de movimento turístico, como Florianópolis e Balneário Camboriú, a Unimed já suspendeu os procedimentos cirúrgicos eletivos devido à lotação da rede hospitalar com pacientes de covid-19.

Esse quadro é resultado direto da superlotação das praias registrada no último feriadão, do dia de Nossa Senhora Aparecida (12/10), segundo as autoridades de saúde e especialistas da área. O agravamento da situação fez com que o MPSC recomendasse aos Prefeitos Municipais de Florianópolis e Balneário Camboriú a adoção de ações mais rigorosas de fiscalização durante o feriado de Finados. Em Imbituba, o Município de comprometeu com o MPSC a aumentar a fiscalização e a restringir o acesso ás praias por meio de um decreto que suspendeu alvarás e licenças para o comércio na orla e proibiu a permanência de pessoas na faixa de areia.”



Giga Medical – Trazendo o melhor em equipamentos de proteção e hospitalares

Fonte ndmais.com.br

Saúde alerta sobre uso de máscara e protetores faciais em crianças de até 2 anos – Dourados Agora

Blog Giga Medical

01/11/2020 15h08 – Por Ministério da Saúde

Diante da emergência de saúde pública mundial causada pela Covid-19, muitas medidas de precaução vêm sendo tomadas.

No entanto, algumas condutas precisam de atenção especial, entre elas, o uso indevido de máscaras e protetores faciais em bebês recém-nascidos e crianças até dois anos.

Nos primeiros anos de vida, é preciso ter cautela na utilização destes equipamentos de proteção individual. Isso porque, para bebês e crianças, o uso inapropriado de barreiras faciais oferece risco de asfixia, estrangulamento e morte por engasgo – já que um bebê não tem capacidade motora para retirar a proteção em caso de refluxo.

Além disso, o uso de coberturas faciais pode comprometer a amamentação, já que as mães podem encontrar dificuldades na remoção e recolocação do protetor facial (faceshield) ou máscaras na criança.

Nos casos dos recém-nascidos, é importante ressaltar que a Organização Mundial da Saúde (OMS), em suas recomendações, não menciona ou recomenda o uso de protetores faciais.

Os cuidados na proteção aos recém-nascidos, para evitar a contaminação pelo coronavírus devem ser realizados conforme as orientações abaixo:

Evitar visitas sociais domiciliares à mãe e ao recém-nascido. Caso aconteçam, manter o distanciamento, uso de máscara e higienização dos adultos, de acordo com as recomendações.

Evitar contato público desnecessário, limitando assim a exposição do recém-nascido ao vírus, especialmente em lugares com aglomerações;

Manter as precauções de contato como higienização de mãos e as recomendações do uso de máscaras para pais e cuidadores em contato com a criança ao sair de casa para o seguimento na Atenção Primária, como imunizações ou consultas;

Evitar manuseio do recém-nascido por muitas pessoas, enfatizando a lavagem das mãos com água e sabão ou álcool gel 70% para cuidadores (incluindo irmãos) antes de tocar o bebê e o uso de máscaras, caso tenham sintomas ou contato com pessoas com síndrome gripal;

Mães com sintomas respiratórios ou que tenham contato domiciliar com pessoas com síndrome gripal devem usar máscara durante os cuidados e durante toda a amamentação e atentar a lavagem frequente das mãos;

Promover rotineiramente a limpeza das superfícies tocadas com recorrência, como maçanetas, interruptores de luz e equipamentos eletrônicos (especialmente celulares);

Assegurar que o ambiente onde a criança permanece esteja livre do tabaco e

Manter a vacinação das pessoas em contato próximo com a criança conforme orientação do Programa Nacional de Imunizações (PNI).



Giga Medical – Trazendo o melhor em equipamentos de proteção e hospitalares

Fonte www.douradosagora.com.br

Covid-19. Sabia que a partir dos 10 anos é obrigatório o uso de máscara?

Blog Giga Medical

O uso de máscara – assim como a lavagem das mãos, a etiqueta respiratória e o distanciamento social – foi um conceito que os portugueses (e as populações de todo o mundo) tiveram de adquirir com a chegada da pandemia da Covid-19. Neste seguimento, o Serviço Nacional de Saúde (SNS), decidiu desfazer uma dúvida: “Sabia que a partir dos 10 anos de idade é obrigatório o uso de máscara?”

Este aviso, feito através das redes sociais, frisa ainda que “o uso obrigatório de máscara em espaços públicos é uma medida preventiva fundamental para reduzir o risco de exposição e transmissão da doença”. 

De lembrar que a Assembleia da República aprovou, no passado dia 23 de outubro, o projeto-lei do PSD que impõe o uso obrigatório de máscara em espaços públicos durante 70 dias, uma medida que poderá ser renovada. 

Depois de ter sido votado na generalidade, o diploma foi de seguida aprovado em votação final global, contando com os votos favoráveis do PSD, PS, CDS e PAN. PCPPEV, BE e a deputada Joacine Katar Moreira (ex-Livre) optaram pela abstenção. Iniciativa Liberal votou contra. O deputado único do Chega esteve ausente na votação.

O diploma determina que é obrigatório o uso de máscara – que não pode ser substituída por viseira – aos maiores de dez anos para o acesso, circulação ou permanência nos espaços e vias públicas “sempre que o distanciamento físico recomendado pelas autoridades de saúde se mostre impraticável”.

Pode haver dispensa desta obrigatoriedade “em relação a pessoas que integrem o mesmo agregado familiar, quando não se encontrem na proximidade de terceiros” ou mediante a apresentação de um atestado médico de incapacidade multiusos ou declaração médica que ateste que a condição clínica ou deficiência cognitiva não permitem o uso de máscaras.

Também não é obrigatório o uso de máscara quando tal “seja incompatível com a natureza das atividades que as pessoas se encontrem a realizar”.

A fiscalização “compete às forças de segurança e às polícias municipais” e o incumprimento do uso de máscara constitui contraordenação, sancionada com coima entre os 100 e os 500 euros.

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download
Google Play Download



Giga Medical – Trazendo o melhor em equipamentos de proteção e hospitalares

Fonte www.noticiasaominuto.com

Com uso de máscara para evitar Covid-19, cresce busca por procedimentos na parte superior da face

Blog Giga Medical

Renascimento do olhar e da testa: o uso do equipamento de proteção para evitar o contágio com o Novo Coronavírus fez aumentar a tendência pela procura de procedimentos para a região acima da máscara, principalmente para olheiras, reposicionamento das sobrancelhas, flacidez e rugas

Com uso de máscara para evitar Covid-19, cresce busca por procedimentos na parte superior da faceSão Paulo — 23/10/2020 – Embora você já tenha ouvido falar que as pessoas geralmente procuram cirurgias e tratamentos no inverno para se preparar para o verão – e isso inclui procedimentos corporais e faciais – nossa nova realidade em meio ao coronavírus aparentemente está fazendo com que as pessoas tentem parecer melhor com seu mais novo acessório: a máscara facial. A imprensa americana já até aponta isso como uma tendência, tanto na escolha da maquiagem (que será mais carregada nos olhos) quanto ao fazer um procedimento estético na parte superior da face. O próprio contato mais intenso com as mídias sociais e as selfies têm feito muitas pessoas perceberem rugas na testa, flacidez nas pálpebras e outras alterações estéticas acima da máscara. Baseado nisso, consultamos cirurgiões plásticos, dermatologistas e angiologistas para explicar melhor os procedimentos acima da linha do nariz:

Blefaroplastia (flacidez das pálpebras) – Indicada para fins estéticos e também funcionais, visto que a flacidez excessiva das pálpebras pode atrapalhar a visão de algumas pessoas, a cirurgia de blefaroplastia tem como objetivo rejuvenescer a área periorbital através da retirada do excesso de pele e bolsas de gordura presentes nas pálpebras superiores e inferiores, com a possibilidade do reposicionamento dessas estruturas ou preenchimento de sulcos na região quando o médico julgar necessário. “Em alguns pacientes pode ser realizada também enxertia de gordura para preencher a perda dos tecidos locais, visto que o resultado da cirurgia se torna mais natural quando há certo volume de tecido ao redor dos olhos”, afirma o cirurgião-plástico Dr. Paolo Rubez, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. De acordo com o especialista, a recuperação do procedimento é tranquila e indolor, sendo que nos primeiros dias após a cirurgia o paciente pode apresentar inchaço e hematomas no local, sintomas que se resolvem dentro de algumas semanas e podem ser aliviados com a ajuda de repouso e compressas frias sobre os olhos. A recuperação é tranquila e leva, em média, uma a duas semanas, período em que o paciente deve permanecer em repouso, higienizar o local corretamente e evitar fazer exercícios físicos e fumar”, diz o Dr. Paolo. O resultado definitivo é notado em torno de 3 a 6 meses.

Cirurgia de Castanhares (reposicionamento da sobrancelha) – O procedimento, indicado nos casos em que a grande questão é o reposicionamento e a forma da sobrancelha, é feito por meio da retirada de uma faixa de pele na região dos supercílios. “A técnica levanta as sobrancelhas e melhora a abertura dos olhos. O corte é feito rente à sobrancelha. É um procedimento rápido e o paciente volta para casa no mesmo dia. Por uma semana o local fica inchado e o corte avermelhado, mas a recuperação é rápida. O paciente não pode tomar sol por um mês, deve ficar duas semanas sem exercício físico e na primeira semana deve evitar trabalhar”, diz o Dr. Mário Farinazzo, cirurgião plástico membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e Chefe do Setor de Rinologia da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Esse procedimento é mais realizado em pacientes acima dos 50 anos porque a cicatriz fica menos evidente que em pacientes muito jovens. “Outra limitação inclui pacientes com a sobrancelha muito fina”, diz o médico.

Lifting frontal (flacidez da testa) – Esse é um procedimento que visa o tratamento dos sinais da idade que surgem no terço superior da face. “Também conhecido como lifting de testa, esse procedimento cirúrgico tem como objetivo suavizar rugas e linhas de expressão e diminuir a flacidez na região da testa, além de elevar a posição das sobrancelhas, conferindo assim um aspecto mais jovem ao rosto”, explica a cirurgiã plástica Dra. Beatriz Lassance, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e da ISAPS (International Society of Aesthetic Plastic Surgery). O lifting frontal pode ser realizado de diferentes formas dependendo do grau de flacidez da região frontal, sendo que a técnica mais adequada será escolhida pelo cirurgião levando em consideração fatores como idade e qualidade da pele. “Quando não há necessidade de retirar pele, o procedimento pode ser feito com auxílio de endoscópio, instrumentos especiais com uma câmera na ponta que são inseridos na pele através de pequenos cortes no couro cabeludo, permitindo ao cirurgião reposicionar os músculos e puxar o tecido cutâneo para corrigir rugas e vincos com uma pequena quantidade de cortes, o que resulta em cicatrizes menores e menos visíveis”, afirma a médica. Existe hoje também uma nova técnica chamada de GBL, que consiste no descolamento da pele e reposicionamento do supercílio por meio de uma cicatriz muito pequena, dispensando assim o uso de equipamentos caros como o endoscópio. Já quando há necessidade de retirada da pele, em casos de pacientes com testa alta ou flacidez excessiva na região, o procedimento é realizado através de uma incisão próxima à raiz do cabelo que se torna quase imperceptível após um tempo. Na maior parte das vezes, o paciente já pode voltar para a casa logo após o procedimento. Porém, ele só poderá retornar as suas atividades rotineiras cerca de 10 dias depois da cirurgia, tempo necessário para que as incisões cicatrizem.

Surgical Derm (rugas na testa) – Além das cirurgias invasivas, novas tecnologias podem melhorar a área acima da máscara. A principal – e mais diferente – delas é o plasma de baixa temperatura Surgical Derm, indicado principalmente para rugas profundas, inclusive as da testa e as que tem forma vertical. O equipamento é um plasma endodérmico que penetra na pele através de pequenos orifícios chegando até a derme e promovendo contração. “Uma sessão do Surgical Derm traz mais resultado que 4 sessões de laser CO2, que é um procedimento extremamente dolorido. Ele é um plasma que faz a sublimação (passagem direta de uma substância do estado sólido para o estado gasoso) da pele. Ele não carboniza. Este é o grande diferencial. Existem outros plasmas, usados por esteticistas, que carbonizam, furam e queimam a pele. O Surgical Derm é um plasma frio que entra na pele com um orifício muito fino e se espalha na derme”, afirma o dermatologista Dr. Abdo Salomão, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. “Com isso, há uma grande contração da pele, que reduz de forma eficaz a flacidez e rugas com resultado percebido já na primeira sessão”, acrescenta.

Laser Vektra QS (olheiras) – Aplicado na região dos olhos, o laser Vektra fracionado melhora a textura e principalmente clareia as olheiras. “Ele aperfeiçoa tanto o castanho que é o pigmento de melanina quanto o pigmento férrico que é o da hemoglobina. Vektra age no melanócito impedindo a célula de liberar o pigmento para as células mais superficiais”, explica o dermatologista Dr. Abdo Salomão Jr. O ideal é fazer uma sessão a cada 15 dias, num total de 4 a 6 sessões. “As sessões são rápidas, duram 10 minutos, o tratamento não dói; é possível fazer e o paciente ir trabalhar na mesma hora”, afirma.

Laser ND Yag (veias no rosto) – Perfeito para eliminar vasinhos que surgem no rosto, principalmente na testa, o laser Nd Yag 1064 é o que existe de mais específico para tratamento de lesões vasculares, segundo a cirurgiã vascular e angiologista Dra. Aline Lamaita, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgiã Vascular. Com bons resultados, segundo a médica, a indicação é de, em média, uma a cinco sessões (dependendo do tipo de lesão) com grande nível de segurança, já que a dor é amenizada com uso de aparelhos resfriadores de pele. “Quanto aos cuidados antes e depois do tratamento, não se deve aplicar cremes ou maquiagem no rosto no dia (para evitar interação com laser e evitar queimaduras), usar protetor solar com fator 50 ou 60 e, em casos raros, especialmente para peles mais sensíveis, usar pomadas à base de corticoide”, finaliza.

FONTES:

*DR. ABDO SALOMÃO JR: Doutor em Dermatologia pela USP (Universidade de São Paulo). É sócio Efetivo da Sociedade Brasileira de Dermatologia, Membro da Sociedade Brasileira de laser em Medicina e Cirurgia e da American Academy of Dermatology. Diretor da Clínica Dermatológica Abdo Salomão Junior.

*DRA. ALINE LAMAITA: Cirurgiã vascular e angiologista, Dra. Aline Lamaita é formada pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, é Membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular, da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia e do American College of Phlebology. A médica possui título de especialista em Cirurgia Vascular pela Associação Médica Brasileira / Conselho Federal de Medicina

*DRA. BEATRIZ LASSANCE: Cirurgiã Plástica formada na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e residência em cirurgia plástica na Faculdade de Medicina do ABC. Trabalhou no Onze Lieve Vrouwe Gusthuis – Amsterdam -NL e é Membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, da ISAPS (International Society of Aesthetic Plastic Surgery) e da American Society of Plastic Surgery. Além disso, é membro do American College of LifeStyle Medicine e do Colégio Brasileiro de Medicina do Estilo de Vida.

*DR. MÁRIO FARINAZZO: Cirurgião plástico, membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) e Chefe do Setor de Rinologia da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Formado em Medicina pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), o médico é especialista em Cirurgia Geral e Cirurgia Plástica pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Professor de Trauma da Face e Rinoplastia da UNIFESP e Cirurgião Instrutor do Dallas Rinoplasthy™ e Dallas Cosmetic Surgery and Medicine™ Annual Meetings. Opera nos Hospitais Sírio, Einstein, São Luiz, Oswaldo Cruz, entre outros. www.mariofarinazzo.com.br

*DR. PAOLO RUBEZ: Cirurgião plástico, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, da Sociedade Americana de Cirurgia Plástica (ASPS) e da International Society of Aesthetic Plastic Surgery (ISAPS), Dr. Paolo Rubez é Mestre em Cirurgia Plástica pela Escola Paulista de Medicina da UNIFESP. O médico é especialista em Cirurgia de Enxaqueca pela Case Western University, com o Dr Bahman Guyuron (em Cleveland – EUA) e em Rinoplastia Estética e Reparadora, pela mesma Universidade, e pela Escola Paulista de Medicina/UNIFESP. http://drpaolorubez.com.br/

[email protected]

Giga Medical – Trazendo o melhor em equipamentos de proteção e hospitalares

Fonte paranashop.com.br

Irmãs barradas por não uso de máscara dão 27 facadas em segurança

Blog Giga Medical

Duas irmãs foram detidas por tentativa de homicídio em Ilinóis, estado dos EUA, acusadas de esfaquear 27 vezes um segurança de uma loja. Jessica e Jayla Hill teriam sido barradas na entrada do estabelecimento pelo guarda, por não estarem vestindo máscaras em prevenção à pandemia do novo coronavírus. Em resposta, elas teriam atacado o homem, que foi hospitalizado. O estado de saúde dele é estável.

Ao entrar na loja, as irmãs, de 21 e 18 anos, tiveram uma rápida conversa com a vítima. Segundo informações divulgadas pela CNN americana, o segurança disse à dupla que elas deveriam usar máscara e passar desinfetante nas mãos.

Elas se recusaram a seguir os procedimentos, discutiram com o guarda e o atacaram ao verem que ele realmente não as deixaria entrar. A denúncia policial relata que Jessica puxou a faca, enquanto a irmã mais nova segurou a vítima pelos cabelos.

27 facadas foram dadas, atingindo as costas, o pescoço e os braços do homem. Segundo a polícia local, o segurança, de 32 anos, está hospitalizado e não corre risco de vida.

As irmãs também foram levadas ao hospital, devido a cortes feitos nelas mesmas durante o ataque. De lá, foram conduzidas imediatamente para a delegacia, onde foram detidas e indiciadas por tentativa de homicídio.

Registros da prisão indicam que Jessica e Jayla estão detidas sem direito a fiança. No estado do crime, a pena por tentativa de homicídio varia de 6 até 30 anos de prisão.

Giga Medical – Trazendo o melhor em equipamentos de proteção e hospitalares

Fonte noticias.uol.com.br

Fazer atividade esportiva de mscara atrapalha a performance?

Blog Giga Medical

Pixabay
(foto: Pixabay)

Sabemos do momento que vivemos e da importncia do uso de mscaras para proteo individual e comunitria. Com as recentes descobertas cientficas de que o vrus responsvel (SARS-Cov-2) se espalha no apenas por meio de gotculas, mas tambm por transmisso area e que a exposio ao vrus pode no conferir imunidade futura (devido a um rpido declnio nos anticorpos nveis em uma escala de tempo relativamente curta),  parece provvel que o uso de mscaras dever se tornar cada vez mais exigido.

A eficincia desta forma de preveno j foi provada. Sem a mscara aumentamos em 1.5x o risco de transmisso da COVID-19. A funo de uma mscara facial fornecer uma barreira fsica entre o nariz / boca atravs da qual o ar que entra nos pulmes tem que passar. Em particular, seu papel filtrar partculas e gotculas do ar inspirado e expirado pelo usurio. importante, portanto, que o uso da mscara no s ajuda a proteger o usurio de uma possvel infeco do ambiente, mas tambm ajuda a reduzir o risco de um indivduo infectado transmitir inconscientemente partculas!
Recentemente vivenciamos restries de bloqueio sendo suspensas em muitos pases, e instalaes como academias e centros esportivos sendo reabertas. Mas quais so os efeitos das mscaras faciais na fisiologia do exerccio e, em particular, na capacidade dos atletas de desempenho de alto nvel? Embora muitas pesquisas tenham sido realizadas sobre as consideraes ambientais do uso de mscaras faciais, muitas delas (compreensivelmente) foram focadas em profissionais de sade que so obrigados a usar mscaras por perodos prolongados de tempo.

No entanto, os efeitos quantitativos das mscaras na capacidade de exerccio ainda foram relatados sistematicamente. Existem novas pesquisas sobre o uso de mscaras cirrgicas e N95 durante o exerccio que forneceram uma viso valiosa para atletas que consideram o uso de mscara durante o exerccio.

Este estudo foi conduzido na Universidade de Leipzig e investigou como o uso de dois tipos diferentes de mscaras faciais – cirrgica e N95 afetou as respostas do corao / pulmo de indivduos que realizaram um teste de ciclismo  at a exausto. 

Os resultados demonstraram que: 

– Ambas as mscaras reduziram significativamente o fluxo de ar pulmonar dinmico, com reduo mdia de 8,8% com a mscara cirrgica e 12,6% com a mscara N95. Os fluxos de pico, entretanto, foram impactados de forma ainda mais dramtica, sendo reduzidos em 9,7% com o uso da mscara cirrgica em 21,3% com a mscara N95.

– O tempo mdio do teste com mscara e sem mscara  evidenciou uma durao mais curta do teste at a exausto significando que o sujeito no foi capaz de sustentar uma intensidade de exerccio alta por muito tempo – ou seja, desempenho inferior. Tambm foi observado uma grande reduo na potncia mxima (4,9%) e no consumo mximo de oxignio (12,9%), especialmente com a mscara N95.

– Em comparao com o fato de no usar mscara, as avaliaes foram negativas para todos os itens, e ainda evidenciaram aumento no desconforto de forma consistente e significativa ao usar uma mscara cirrgica, principalmente com a N95. Na verdade, houve vrios relatos negativos para a mscara N95 em comparao com nenhuma mscara ou mscara cirrgica para a percepo da resistncia respiratria encontrada.

Esses resultados so inequvocos por natureza. Podemos resumir as descobertas assim:

* Usar uma mscara simples NO prejudica o desempenho em exerccios de alta intensidade.

* Quanto maior a capacidade de filtrao da mscara (ou seja, quanto mais proteo ela oferece ao usurio), mais ela prejudica o desempenho nos exerccios.

* Quanto maior a intensidade do exerccio realizado, maior ser o impacto negativo da mscara.

O que essas descobertas significam para os atletas? Em geral, podemos dizer que ao praticar exerccios em um ambiente onde o risco de transmisso do vrus baixo – ou seja, ao ar livre e longe de outras pessoas – o uso da mscara no apenas desnecessrio, mas pode ser contraproducente, especialmente quando a intensidade do exerccio alta (por exemplo, treinamento intervalado, situao de corrida etc). Para a maioria dos atletas de resistncia que realizam treinamento de rotina, o uso de mscara deve ser desencorajado e os locais locais de treinamento devem ser escolhidos onde o distanciamento possvel. 

E os atletas que esto treinando ou competindo nas proximidades, por exemplo, na academia ou em uma corrida de rua com um grande nmero de outros corredores? Nesses tipos de situaes, o uso de mscara pode ser benfico, especialmente em termos de proteo de outros atletas. No entanto, os tipos de mscara N95, embora forneam uma filtragem muito eficaz, prejudicam o desempenho em um grau importante.

Sabemos que fazer exerccio de mscara no agradvel e h uma influncia real na capacidade esportiva. Por esse motivo, em esportes profissionais como basquete e futebol, prefervel testar os atletas e proteg-los do contato que mant-los usando mscara durante sua atividade!

Em geral, devemos considerar o uso de mscara como uma estratgia til para proteger outras pessoas em ambientes lotados ou fechados, mas entenda que, embora possam fornecer benefcios de transmisso de vrus, eles tm um custo para o desempenho nos exerccios.

Abrao a todos!

 

Tem dvidas ou sugestes? Mande email para [email protected]

Giga Medical – Trazendo o melhor em equipamentos de proteção e hospitalares

Fonte www.uai.com.br

Mais de 2 mil reclamações sobre aglomerações e não uso de máscaras em ônibus do Transcol

Blog Giga Medical

Foto: Leitor | Whatsapp Folha Vitória

Prevenir-se do coronavírus é um desafio para quem usa diariamente o transporte coletivo. Os usuários relatam que, devido à quantidade de passageiros nos ônibus, muitas vezes é impossível evitar aglomerações nesses locais. Para piorar mais a situação, tem muita gente que ainda viaja sem máscara.

“Seis horas da noite está mais lotado mesmo. A maioria está usando [máscaras], mas algumas pessoas ainda não. E não tem como a gente falar também, porque pode causar uma grande intriga no ônibus”, afirmou o recepcionista Warley Pinheiro de Paula, usuário do sistema.

>> VÍDEO | Mulheres brigam no Transcol por causa de máscara e vão parar na delegacia

De acordo com dados da Companhia Estadual de Transportes Coletivos de Passageiros do Espírito Santo (Ceturb-ES), de 1° de setembro a 17 de outubro, foram registradas mais de 2,3 mil reclamações de superlotação nos coletivos, e quase 2 mil sobre a falta do uso da máscara. 

Segundo a companhia, esse número representa aproximadamente 0,02% do total de passageiros do sistema Transcol, que atualmente é de cerca de 400 mil pessoas por dia. A Ceturb ressaltou ainda que vem aprimorando os mecanismos de controle, para evitar situações como essas, e conta com o apoio da população para ajudar na fiscalização.

A infectologista Simone Freitas explica que o simples uso da máscara, por exemplo, reduz bastante o risco de contaminação. “Se você usa máscara e eu uso máscara, nós estamos diminuindo o risco do nosso contágio em até mais de 50%. Isso é muito importante, associado ao uso de álcool nas mãos, já que a gente toca superfícies que outras pessoas podem ter tocado com a mão contaminada”, destacou a médica.

Com informações do repórter Alex Pandini, da TV Vitória/Record TV

lotacao
onibus
coletivos
transcol
transporte-publico
mascaras
pandemia
coronavirus
covid-19
ceturb
transporte



Giga Medical – Trazendo o melhor em equipamentos de proteção e hospitalares

Fonte www.folhavitoria.com.br

194 pessoas foram multadas no Ceará por recusar o uso de máscara, diz secretaria | Ceará

Blog Giga Medical

A resistência ao uso obrigatório de máscara no Ceará, como protocolo de segurança sanitária durante a pandemia do novo coronavírus, já rendeu 194 multas entre os dias 20 de agosto e o último sábado (24), segundo a Secretaria de Saúde do Estado.

Os números divulgados demonstram um aumento de 31,9% no número de multados em relação ao balanço anterior, que informava os números de autuados pelo não uso de máscara até o dia 7 de setembro (147).

A Secretaria da Saúde destaca que o “Governo do Ceará segue o trabalho de orientar a população sobre a importância do uso de máscaras de proteção nesse período de pandemia”, e que as 194 pessoas autuadas se recusaram a “a usar a máscara da maneira correta e acabaram sendo multadas, de acordo com o que estabelece a legislação vigente”, pontua em nota.

Lei estabelece multa para quem usar máscaras em cidades cearenses — Foto: Natinho Rodrigues/Sistema Verdes Mares

A Secretaria da Saúde afirma que já realizou 5.477 fiscalizações desde março, quando foi publicado o decreto estadual com as medidas para conter a disseminação da Covid-19. Além disso, 15 estabelecimentos já foram autuados por “deixarem pessoas entrarem sem máscara no ambiente”, informa a pasta.

Já a Policia Militar efetuou 132.633 abordagens, entre 20 de agosto e 24 de outubro.

De acordo com o Governo do Estado, equipes de fiscalização trabalham a conscientização quanto ao período de pandemia e a importância de seguir o protocolos de segurança sanitárias, como o uso de máscaras e álcool em gel.

A Polícia Militar, Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Vigilância Sanitária, da Sesa, Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis) e Guarda Municipal, são alguns órgãos que participam das ações de fiscalização e conscientização.

Além disso, o projeto determina que o agente, ao abordar e constatar a irregularidade, primeiro oriente quanto ao uso da proteção facial e apenas em caso de desobediência a orientação a multa de R$ 100 para pessoas físicas, podendo chegar a R$ 300 em caso de reincidência, seja aplicada.

Existem algumas exceções onde as pessoas não podem ser multadas, como pela retirada provisória da máscara para consumir alguma alimentação, em locais como restaurantes ou estabelecimentos similares, e motoristas que estiverem sozinhos no interior de seus carros.

Assista às principais notícias do Ceará resumidas em um minuto:

Giga Medical – Trazendo o melhor em equipamentos de proteção e hospitalares

Fonte g1.globo.com

Maioria (85%) a favor do uso obrigatório de máscara na rua

Blog Giga Medical

Rafael Barbosa

Lei que obriga a usar máscara na rua entrou em vigor esta quarta-feira e prevê coimas entre 100 e 500 euros. Quanto mais velhos os portugueses, maior é o apoio à medida, revela uma sondagem da Aximage para o JN e a TSF.

A grande maioria dos portugueses está alinhado com a decisão do Parlamento: 85% concordam de alguma forma com a obrigatoriedade do uso de máscara na via pública, sendo que 60% “concordam totalmente”, em particular os cidadãos mais velhos (73% dos que têm 65 ou mais anos manifestam um apoio incondicional).

Segundo uma sondagem da Aximage para o JN e a TSF, esta é uma obrigação que não mudará os hábitos da maioria: 68% garantem que já utilizavam máscara na rua. E verifica-se que o nível de adesão cresce de forma simétrica com os escalões etários, ou seja, quanto mais velho o inquirido, maior é a probabilidade de já usar máscara na rua, chegando aos 80% entre quem tem 65 ou mais anos.

A lei, que impõe a obrigação do uso de máscara durante 70 dias (quando não for possível manter o distanciamento), e prevê coimas entre 100 e 500 euros, resultou de uma proposta do PSD e teve escassa oposição política: o BE e o PCP abstiveram-se e o deputado da Iniciativa Liberal votou contra. Pode concluir-se, através da análise dos resultados dos diferentes segmentos, que estão dessintonizados do seu eleitorado, uma vez que os inquiridos que votam nestes três partidos também estão de acordo, e de forma esmagadora, com a medida.

O único líder político que poderá dizer que está um pouco mais alinhado com o sentimento do seu eleitorado é André Ventura, uma vez que é entre os que votam no Chega que se destaca a maior oposição ao uso obrigatório de máscara (30%), bem como o reconhecimento de que não andam de máscara na rua (50%). Ressalve-se que o deputado único da Direita radical, apesar de se ter manifestado contra a obrigatoriedade, não estava presente no Parlamento quando se votou a proposta do PSD.

Ainda no que diz respeito ao cruzamento de dados relativos às fronteiras partidárias e ao uso de máscara na rua, percebe-se que são os eleitores de partidos como CDS (89%), PS (82%), CDU (78%) e PSD (77%) os que mais reconhecem que se anteciparam à obrigatoriedade da lei. Precisamente os partidos em que, de acordo com sucessivas sondagens, é maior a proporção de eleitores mais velhos.



Giga Medical – Trazendo o melhor em equipamentos de proteção e hospitalares

Fonte www.jn.pt